gerente-financeiro-5.jpg

Imagine que as vendas da sua empresa saíram melhor do que o esperado, todas as necessidades já foram quitadas e o resultado é um valor expressivo em caixa. O que você, enquanto gerente financeiro, faria com esse montante excedente?


Deixaria na poupança, afinal é um lugar seguro, ou faria uma aplicação financeira para aumentar os recursos da empresa?

 

Dominar as aplicações financeiras da empresa é uma das principais competências desse profissional. Cabe a ele indicar os melhores caminhos e possibilidades para as decisões tomadas pela diretoria.

 

Se você já passou por esta situação de indecisão, continue acompanhando o texto que daremos algumas dicas interessantes. Boa leitura!

 

Investir deve fazer parte da rotina do gerente financeiro

 

Muitas empresas não têm a cultura de investimento. E é justamente por isso que alguns problemas podem acontecer. Uma vez que não há o olhar para as aplicações financeiras, o gerente financeiro pode optar por caminhos não tão benéficos, mas é parte da sua função e um bom diferencial ter conhecimento de investimentos.

 


Professor da Saint Paul Escola de Negócio, Alan Ghani diz que há três erros muito comuns que ocorrem quando o profissional não sabe direito sobre aplicações financeiras.

 


“O primeiro erro é cair no conto do gerente do banco. Nem sempre o que o gerente está oferecendo para a empresa é melhor em termo de investimentos, uma vez que ele precisa bater metas e vai tentar fechar a dele com você. Outro erro é deixar o dinheiro parado, sem render. Dependendo do faturamento da empresa, isso pode ser bastante expressivo. O terceiro é aceitar qualquer coisa sem barganhar, sem pesquisar outras alternativas”, comenta.

 


Ghani ainda diz que o comportamento profissional nesses casos lembra muito o da pessoa física. Por impulso, o cliente não pesquisa, aceita a primeira coisa que oferecem, e aí vemos muitos tomando decisões erradas.

 


E a principal consequência de más escolhas, neste caso, é deixar de ganhar dinheiro. O que é um motivo bem relevante para não querer errar, não é mesmo?

 

Como ser assertivo nas aplicações?

 

Uma das dicas preciosas dadas pelo professor Alan é que o gestor financeiro precisa ter uma visão de produto, estando antenado com tudo que o mercado oferece, se portando como se fosse um consultor de investimentos.

 

Não necessariamente é obrigatório saber a fundo cada um deles, mas é importante ter uma boa ideia do que está acontecendo e quais são as melhores alternativas.

 


Além disso, é importante que o gerente financeiro tenha uma visão de investimento. Nesse ponto, é importante ter ciência que a empresa pode estar perdendo dinheiro ao deixar de realizar uma aplicação financeira adequada.

 


“Ele tem que virar essa chave e começar a pensar também como um gerente de aplicações, com uma postura também de investimento. Tem que ter uma mudança comportamental, mas também uma questão técnica de você estar acompanhando todos esses produtos e o cenário”, orienta.

 


Resumindo, é preciso conhecer muito bem os produtos disponíveis no mercado e ter uma boa leitura do cenário macroeconômico, acompanhando para onde está indo o dólar, a taxa de juros e a bolsa.

 

Benefícios de um controle bem feito

 

Ao criar uma cultura dentro da empresa de investimento, o gerente financeiro deixa um legado. Desta maneira, as aplicações financeiras deixam de ser uma coisa pontual da administração para se tornar um hábito. O benefício maior é ganhar dinheiro não dentro só de um período, mas a longo prazo.

 


Ainda existem muitas empresas que não olham para os investimentos e recorrem à poupança porque não enxergam que as aplicações financeiras também podem alavancar seus ganhos. E muitos negócios ainda têm essa resistência de achar que o core business dela é que vai dar dinheiro, mas com aplicações também é possível ganhar dinheiro.

 


Segundo o professor Alan, mais do que estar atento aos investimentos, a questão é de fazer disso um hábito, seja para empresas ou pessoas:

 


“Uma mensagem geral tanto para pessoa física quanto jurídica é de começar a levar a administração do seu dinheiro, a realização de investimentos pessoais, muito a sério, como se fosse um hábito. Assim como dormir bem ou ir para uma academia, é muito importante você levar isso a sério e incorporar no seu dia a dia.”

 


Este artigo conseguiu ajudar você a entender melhor a importância das aplicações financeiras e os benefícios da sua boa gestão?

 

Entre em nosso blog e leia muitos outros assuntos sobre finanças e mercado financeiro. Até a próxima!

 

Posts Relacionados

Baixe o ebook agora!
New Call-to-action
New Call-to-action
New Call-to-action
New Call-to-action
New Call-to-action
Baixe nosso infográfio: Design Thinking

Posts populares